Em um cenário em que o E-commerce no varejo avança mundialmente, os supermercadistas e varejistas paranaenses se reúnem na Mercosuper 2019 para debater o assunto e se preparar para o futuro. O evento acontece de 9 a 11 de abril no Expotrade Convention Center, e além de contar com um congresso sobre Transformação Digital e Varejo 4.0, também vai reunir mais de 300 marcas com os principais lançamentos em produtos e em tecnologias. A abertura será às 15h após uma solenidade e corte da faixa inaugural.

“Escolhemos esses temas por vermos a necessidade de os empresários estarem preparados para se reinventar no futuro. Eu acredito que o varejo físico não vai acabar, mas reconheço que devemos estar atentos e preparados para a transformação que está por vir. Assim, nesta feira teremos a oportunidade de conhecer as tendências mundiais e ver as previsões dos especialistas”, destaca o presidente da Apras, Pedro Joanir Zonta.

O E-commerce cresce em todos os segmentos do varejo e, hoje, atinge 3,1% da venda do varejo brasileiro e próximo a 0,8% da venda dos supermercados. Considerando a tendência anunciada pela Associação Brasileira de Comercio Eletrônico, em 2019 as vendas online devem chegar a R$ 79,9 bilhões. As estimativas segundo esta mesma associação é que as vendas superem em 16% as realizadas em 2018.

A previsão do Grupo GS& Gouvêa de Souza é de que o varejo em 2025 possua uma participação digital entre 8 e 9% (PME, IBGE e EBIT). O mercado de E-commerce brasileiro deve atingir um faturamento entre R$ 180 bilhões e R$ 200 bilhões. O m-commerce (mobile commerce) representará entre 80 a 85% deste total.

O varejo vai passar por uma grande mudança nos próximos anos e a principal revolução será no aumento significativo do E-commerce nos supermercados. O uso da Big-data do varejo passa a ser um novo aprendizado com o uso da tecnologia e a adaptação das pessoas, colaboradores e consumidores a esta nova realidade.

A China está na vanguarda dos pagamentos mobile. Quase 90% das pessoas de lá não utilizam mais dinheiro físico para pagamentos. No país, os provedores de serviços de pagamento que permitem a utilização de dispositivos móveis respondem por 67% das transações financeiras, seguidos dos cartões (22%), e dinheiro (11%).

Observar os cenários internacionais acaba se tornando uma opção para estudar e planejar o futuro. Como o mercado chinês e o norte-americano são os maiores exemplos para o mundo e se destacam pela expansão do comércio digital a abertura da Mercosuper vai contar com a palestra internacional de Mathew Brennan, consultor, palestrante e escritor com foco em inovação e tecnologia móvel chinesa, conhecido pela análise da Tencent, a maior gigante de tecnologia da China e do WeChat, o famoso super app da China. Ele vai compartilhar a sua experiência no mercado chinês, com destaque para o Alibaba, um dos maiores grupos de comércio eletrônico do mundo, que tem feito sucesso com a rede de supermercados Hema, que une o varejo on-line e off-line em uma única experiência.

Em um futuro próximo, a competitividade das empresas não será mais levada em consideração pelo seu porte, seu país de origem ou sua vantagem competitiva passada. “A ascensão do E-commerce está abrindo oportunidades empolgantes de crescimento a milhares de empresas de todas as formas e tamanhos. Neste cenário, os supermercadistas precisam estar atentos e preparados para o futuro e prontos para agarrar as oportunidades desta tendência”, afirma Zonta.

Patrocinado pela RP Info, uma das empresas mais reconhecidas em sistemas de gestão para o varejo no Brasil, o Congresso “Espaço Transformação Digital no Varejo 4.0”, vai contar com um grande fórum sobre “Venda Online”, no dia 9 de abril, às 9h30, com o tema “Apocalipse do Varejo” e trará especialistas e cases sobre o assunto. A transformação digital será amplamente discutida em mais palestras e painéis durante os três dias de feira.

Segundo o diretor comercial, Gilberto Dutra, a RP Info decidiu patrocinar o evento pela relevância do tema e por acreditar que este é o momento certo para se preparar para as mudanças que estão por vir. “Precisamos estar preparados para o Varejo 4.0, grandes mudanças devem ocorrer nos próximos cinco anos e iniciativas como esta têm um papel fundamental para levar as informações aos varejistas”.

Dutra acrescentou que percebe um avanço no varejo brasileiro e que a regulamentação mais flexível para os meios de pagamento e acesso à tecnologia têm impulsionado estas mudanças.

Grandes transformações são vistas no varejo da China e dos Estados Unidos. “Um dos principais pilares está sendo o uso adequado da tecnologia (Automação e tratamento de dados) para gerar maior eficiência e reduzir o atrito das experiências de compra em lojas físicas e também nos canais online”, destacou.

Leia a matéria original em: Feiras do Brasil

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

PortugueseEnglishSpanish
%d blogueiros gostam disto: