As empresas podem transformar a sociedade por meio da inspiração de negócios conscientes, sustentáveis e inovadores. Para isso, é preciso ter esses valores como pilares de suas atividades. Baseado nessas premissas surgiu a ideia do Capitalismo Consciente, movimento iniciado a partir de um estudo acadêmico conduzido por Raj Sisodia, Jaf Shereth e David Wolf, nos Estados Unidos.

O tema será discutido, no dia 1º de outubro, no 10º Fórum Internacional de Gestão de Redes de Franquias e Negócios, que acontece em São Paulo. O evento convidou para a palestra Hugo Bethlem, diretor geral do Capitalismo Consciente Brasil e Fernando Bicalletto, diretor executivo da Fazenda da Toca, empreendimento dedicado à produção de alimentos 100% orgânicos como frutas, ovos e grãos.

O movimento elenca quatro princípios para a prática do capitalismo consciente: Propósito Maior, Cultura Consciente, Liderança Consciente e Orientação para Stakeholders. O propósito deve ser muito mais do que simplesmente gerar lucros: é a causa pela qual a empresa existe. Já a Cultura consciente diz respeito à incorporação dos valores, princípios e práticas subjacentes ao tecido social de uma empresa.

Os líderes conscientes são responsáveis por servir ao propósito da organização criando valor para todos os seus stakeholders e cultivando uma Cultura Consciente de confiança e cuidado. Por fim, um negócio deve gerar diferentes valores para todas as partes interessadas.

Fazenda da Toca
A Fazenda da Toca é uma propriedade de 2.300 hectares, localizada em Itirapina, a 200 km da capital de São Paulo. Fundada em 2009 pelo empresário Pedro Paulo Diniz, a empresa – que fica a 200 km da capital de São Paulo, na cidade de Itirapina – carrega em seu DNA o propósito de conectar e cocriar iniciativas que regenerem o sistema.

O empreendimento busca respeitar matas nativas, promove inclusão de vilas de moradores e possui áreas de pesquisa agrícola regenerativa. Além disso, o Instituto Toca se dedica a aplicar, desenvolver e disseminar a cultura do “pensar e viver orgânico”.

“Antes de mais nada, a Fazenda da Toca, é uma empresa movida por um propósito. O nosso propósito é sermos sustentáveis em três pilares: ambiental, social e financeiro. Nos dois primeiros quesitos, a Fazenda sempre foi uma referência. E nos últimos anos, conseguimos também firmar a perna da sustentabilidade financeira. Com a atividade de ovos orgânicos, que hoje é a nossa principal do ponto de vista comercial, consolidamos a nossa solidez financeira e atingimos resultados extremamente positivos. E mais do que isso, a nossa atividade tem um impacto significativo em todo o setor porque puxa toda a cadeia produtiva de milho e soja orgânicos, por exemplo, que estão na base da agropecuária”, explica Fernando Bicaletto, diretor-executivo da companhia.

Atualmente, o empreendimento é o maior produtor de ovos orgânicos do país, com participação de 45% no mercado. A fazenda investe em pesquisa e desenvolvimento de sistemas agroflorestais em larga escala como forma de garantir a regeneração do solo, do clima e do ecossistema ao seu redor. Realiza parcerias e busca incentivar uma nova ordem para a produção agrícola.

“Em nosso manejo, consideramos cada mínimo detalhe essencial para proporcionar a elas a melhor qualidade de vida. Um deles, por exemplo, é a presença do poleiro nos aviários. As aves são muito hierárquicas em sua organização social, e a instalação de poleiros adequados permite que as dominantes fiquem em cima e as dominadas embaixo, garantindo a harmonia social. Elas também têm amplo acesso às áreas externas para pastejar e ciscar à vontade”, explica o diretor-geral.

A marca inovou percebendo a demanda por sofisticação do mercado. Apostou também nos chamados funcionais, enriquecidos naturalmente com Ômega 3, Selênio e Vitamina E. O processo se dá de forma 100% natural a partir da ração das aves. Além disso, investiu também no relançamento dos ovos pequenos. Para isso, fez um trabalho junto aos consumidores para um diálogo sobre temas fundamentais como o combate ao desperdício e as condições de produção dos alimentos.
Sobre o Fórum

O 10º Fórum Internacional de Gestão de Redes de Franquias e Negócios acontece nos dias 1 e 2 de outubro, no Teatro Santander, em São Paulo. Em nove edições, já recebeu mais de 9 mil executivos, dentre CEO’s, diretores e gerentes, de 2 mil empresas, incluindo as maiores redes de franquias e negócios do país. Os debates contarão com lideranças de destaque como Frederico Trajano, CEO do Magazine Luiza; Marcelo Bertini, presidente do Cinemark; Chieko Aoki, presidente da rede Blue Tree Hotels; Caito Maia, fundador e presidente da Chilli Beans, Greg Nathan, maior especialista mundial em relacionamento nas redes de franquias, entre outros.

TOP 25 do Franchising Brasileiro
O Prêmio Top 25 do Franchising Brasileiro traz importantes reflexões ao mercado e mostra um retrato do setor com temas relevantes. Realizado pelo Grupo BITTENCOURT desde 2013, a premiação muda de temática todos os anos para dar visibilidade a diferentes segmentos importantes para o mundo das franquias. Em 2019, o estudo aborda “Cultura Organizacional e Liderança nas Redes de Franquias”.

As inscrições são gratuitas. Em 2019, o estudo é uma adaptação das pesquisas publicadas por Boris Groysberg, Jeremiah Lee, Jesse Price e Yo-Jud Cheng na Harvard Business Review.A proposta visa traçar o perfil das franqueadoras no que se refere à cultura organizacional. Ou seja, como se organizam e expressam seus valores e crenças e também como respondem às mudanças e interagem com seus stakeholders. Da mesma forma, o estudo vai traçar o perfil dos líderes envolvidos nessas organizações.

Matéria original publicada em: Camaçari 24 Horas

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

PortugueseEnglishSpanish
%d blogueiros gostam disto: